Publicador de Conteúdo

Artigo

As mulheres têm menos oportunidades de serem contratadas?

Clara Cortina, M. José González e Jorge Rodríguez, Universidade Pompeu Fabra;

Uma experiência sobre a discriminação de género no mercado de trabalho mostrou que as mulheres com idades compreendidas entre os 37 e os 39 anos têm, em média, 30% menos probabilidades de serem chamadas para uma entrevista de emprego do que os homens com as mesmas características. A discriminação de género é maior para as candidatas do sexo feminino com filhos e tende a reduzir-se, mas não a desaparecer totalmente, quando elas estão mais qualificadas para ocupar o cargo.
observatoriosocial.puntos.clave
  • 1
       Mais de 5.600 currículos fictícios foram enviados para 1.372 ofertas de emprego reais em Madrid e Barcelona e a probabilidade de ser chamado para uma entrevista de emprego foi comparada entre candidatos com CVs equivalentes, cujas únicas diferenças eram de género, se tinham ou não tinham filhos, e o grau de qualificação para ocupar o emprego.
  • 2
       Em pé de igualdade de condições, as mulheres foram em média 30% menos suscetíveis de serem chamadas para uma entrevista de emprego do que os homens com as mesmas características.
  • 3
       As diferenças de género no processo de recrutamento foram maiores quando os candidatos tinham filhos e reduziram-se, embora sem desaparecerem totalmente, quando os mesmos estavam mais qualificados para o trabalho.

Para compreender a extensão total dos efeitos do género, do número de filhos e da qualificação na probabilidade de ser chamado para uma entrevista de emprego, a seguinte figura mostra as taxas de resposta para diferentes subgrupos. As diferenças de género são mantidas em todos os casos, embora sejam muito menores no subgrupo de candidatos sem filhos e com um elevado nível de qualificação; neste subgrupo, e apesar da igualdade no CV de ambos os géneros, as mulheres têm uma probabilidade ligeiramente menor de serem chamadas para uma entrevista (12,4%) do que os homens (13,6%). De facto, neste subgrupo, as diferenças entre homens e mulheres são muito pequenas e não estatisticamente significativas.

Probabilidade de ser chamado para uma entrevista de emprego por género, número de filhos e qualificações profissionais.
Probabilidade de ser chamado para uma entrevista de emprego por género, número de filhos e qualificações profissionais.
Preconceitos ou estereótipos?

Quando os candidatos do sexo feminino são altamente qualificados para o cargo e não têm filhos, as diferenças em relação aos homens com as mesmas qualificações praticamente desaparecem. Isto permite concluir que a discriminação de género nos processos de recrutamento não se deve tanto a preconceitos negativos em relação às mulheres em geral, mas mais a estereótipos de género, de acordo com os quais as mulheres costumam ser vistas como menos comprometidas com o trabalho remunerado e mais orientadas para a família.

Classificação

Etiquetas

Temáticas

Conteúdos relacionados

Infodata

Doutorados segundo diferentes ramos do conhecimento e sexo

Enquanto a participação de mulheres doutoradas em Portugal está acima da média da UE-27 em todos os ramos do conhecimento considerados, em Espanha, a participação de mulheres doutoradas está abaixo da média europeia nos ramos das artes, humanidades e ciências sociais.

Artigo

Participar ou ganhar? Mulheres, homens e competitividade

As mulheres não são tão boas para competir? Este artigo mostra a existência de fatores culturais que podem explicar parte da discriminação que as mulheres sofrem no mercado de trabalho.

Artigo

As tarefas domésticas e o cuidado dos filhos durante o confinamento, uma responsabilidade assumida principalmente pelas mulheres

Este estudo mostra que, durante o confinamento, as mulheres continuaram a assumir as tarefas domésticas e o cuidado dos filhos a um nível consideravelmente mais elevado, apesar de um ligeiro aumento na participação dos homens.

Também pode ser do seu interesse

Concurso Flash para apoiar projetos de investigação sobre o impacto social das vidas longevas (FS24-1B)

Concurso

Concurso Flash para apoiar projetos de investigação sobre o impacto social das vidas longevas (FS24-1B)


Inclusão Social

O Observatório Social da Fundação ”la Caixa” anuncia a abertura de um concurso para apoiar projetos de investigação no domínio das Ciências Sociais que estudem o impacto social das vidas longevas, em Portugal, através de um inquérito quantitativo.

Por que não oferecemos a mesma ajuda a todas as vítimas de ‘cyberbullying’?

Artigo

Por que não oferecemos a mesma ajuda a todas as vítimas de ‘cyberbullying’?


Inclusão Social

Este artigo destaca que tanto o bullying tradicional como o cyberbullying têm uma audiência. As pessoas observadoras podem influenciar o comportamento, seja encorajando ou parando a agressão.

«BlindGame»: As atividades de jogo de azar ‘on-line’ dos jovens portugueses

Artigo

«BlindGame»: As atividades de jogo de azar ‘on-line’ dos jovens portugueses


Inclusão Social

Um estudo realizado com 2.028 jovens entre 15 e 34 anos em Portugal revelou uma prevalência significativa de comportamentos de jogo a dinheiro online, com diferenças de género e idade. Os resultados indicam preocupações para pais, educadores e autoridades públicas devido à crescente adesão a essa forma de entretenimento.